crônica

um momento antifashion

anti-moda-anti-fashion-street-style-esquisito (7)

Parece estranho, mas é isso mesmo! Estamos vivendo um momento antifashion. Para ser mais precisa, um ciclo onde as tendências parecem ir contra aquilo o que podíamos definir como ser chique ou elegante. Mas não é pra todo o mundo que funciona assim.

A grande parte das mulheres se veste de maneira tradicional, incrementando a sua produção com alguns elementos fashion. Acho que é o certo, também funciona pra mim. Conhecer a si mesmo e investir no seu próprio estilo, de maneira descomplicada. Sem excessos. É o mote de quem trabalha com moda da vida real.

Mas uma pequena parte de “fashionistas”, com muito dinheiro no bolso e ideias excêntricas na cabeça, a coisa é um pouco diferente. Tem gente que está amando ficar “diferente”, usando peças de gosto um tanto duvidoso para se sentir dentro das últimas tendências. E, de quebra, fazendo propaganda para grandes grifes internacionais (mesmo porque no nosso país não dá pra jogar dinheiro fora!).

É que alguém sempre quer se sobressair por alguma extravagância.

anti-moda-anti-fashion-street-style-esquisito (6)

O visual antimoda ganhou adeptos entre as fashionistas que estavam procurando peças mais autênticas. Esses produtos exalam despretensiosidade. “No passado, luxo significava feminilidade. Era sinônimo de uma bolsa linda ou de um belo suéter de cashmere. A maioria dessas peças são o oposto de feminilidade. É uma revolta contra o luxo que conhecemos. No lugar de chamar atenção com luxo extraordinário, eles procuram o mundano. É como um esnobismo reverso.”, explica Susie Scheffman.

(stylist e consultora de moda)

Difícil de entender, né? O que seria da moda sem tanta criatividade? Talvez seja uma questão de ponto de vista, o que é feio pra mim, não é pra você e vice-versa…Também tem o marketing!

anti-moda-anti-fashion-street-style-esquisito (8)

Prefiro descomplicar! A moda tem que ser fácil, prática, usável e fazer a gente se sentir bem e linda. Acredito na criatividade de cada uma com o seu estilo próprio. Para isso o caminho é investir em boas peças (que tenham a sua cara!), simples, clássicas, com design diferenciado e com grande durabilidade. A modinha passageira, aquela de apenas uma estação, tem um espaço bem pequeno. Saber diferenciar isso também é importante, ter inteligência para consumir a moda. Não sair comprando de tudo um pouco, e depois se arrepender. Saber comprar e ter um consumo muito consciente, sem exageros. Reciclar o seu guarda-roupas e usar a mesma peça de maneiras diferentes, essa é a tendência pra mim.

Qual a sua opinião?

LKV

fotos:reprodução
Anúncios

Um comentário em “um momento antifashion”

  1. Nada como uma vestimenta tradicional que além de transmitir elegância, inspira confiança e demonstra as virtudes da pessoa. O resto é pura exibição, então, porque não se vestir de palhoça para aparecer?

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s